Objetivo Currículo Profissional: Como Preencher?

 A preparação de um currículo é a hora na qual o profissional precisa apresentar tudo o que tem de mais interessante. As suas habilidades principais são as coisas que todos mais se preocupam em apresentar, mas também é importante determinar claramente outro tópico: é o do objetivo profissional.

Um erro de quem manda currículos é não dar toda a atenção devida a essa parte, inclusive por achar que os recrutadores observarão somente a formação acadêmica ou as experiências.

No entanto, qualquer coisa que se coloca em um currículo vai ser observada com atenção pelos Recursos Humanos, até mesmo um endereço de e-mail. Dessa maneira, refletir sobre quais são os tipos de vagas que se quer disputar é muito importante, não se indicando misturar diversas funções.

Por que a área “objetivo profissional” precisa ser bem preenchida?

Os currículos mandados para qualquer plataforma Trabalhe Conosco ou e-mails são inseridos em uma espécie de depósito que é conhecido como banco de talentos. A cada vez que alguma vaga fica à disposição, os profissionais dos Recursos Humanos começam a pesquisar nesse banco de talentos quais são os indivíduos que se encaixam naquela função e eles utilizam exatamente o “objetivo profissional” para isso.

Uma empresa que está precisando de analista de Marketing, por exemplo, utilizará esse tipo de filtro quando estiver no banco de talentos: dessa maneira, qualquer um que tiver colocado esse objetivo no seu currículo será visto e, de acordo com a impressão do recrutador, estará nas etapas do recrutamento.

Como decidir o que colocar no objetivo profissional?

O candidato terá de combinar uma autoanálise e as suas qualificações comprovadas. Dessa forma, não basta que o indivíduo seja criativo, por exemplo, para que ele coloque “analista de Marketing” no seu currículo: para essas vagas, é sempre solicitado o curso superior adequado.

Por outro lado, uma pessoa que fez faculdade de Pedagogia poderia colocar “professora” no objetivo profissional. No entanto, se ela não tiver perfil para tratar com crianças, é melhor que opte por “orientadora educacional”, por “coordenadora pedagógica”, etc. Dessa maneira, fica claro como é preciso que os candidatos conheçam suas qualificações e que também leve em conta que tipo de habilidades possuem.

https://lucrandonabolsa.com.br/

Erros de quando se coloca o objetivo profissional no currículo

 

Uma vez que esse é um campo bem curto no currículo, não se tem tanta possibilidade de erro. Contudo, existe um que muitos profissionais cometem, que é escrever muitos cargos no mesmo currículo.

É claro que existem cursos superiores que permitem que se tenham diversas funções: quem faz o curso de Letras, por exemplo, pode ser redator, pode ser professor, revisor e uma série de outras coisas. No entanto, colocar todas essas possibilidades em um único currículo dá a impressão de que o candidato está “tentando qualquer coisa”, ou seja, que ele não tem nenhum foco.

Por isso, é preciso que o candidato combine apenas duas funções, no máximo. Por exemplo: ele pode colocar professor de Português ou Inglês, demostrando à escola que pode lecionar as duas disciplinas. Note-se que, mesmo sendo duas funções, ambas são para docentes. Isso faz com que o objetivo profissional não se torne bagunçado.

É natural que os profissionais queiram se candidatar a diversos cargos, especialmente quando a sua formação propicia isso. Porém, é preciso que a organização sempre seja lembrada e a melhor maneira de fazer isso é criar mais de um currículo. Retomando o exemplo de uma pessoa que estudou Pedagogia, ela pode criar um currículo onde o objetivo profissional seja “diretora”, fazendo um segundo onde conste “coordenadora pedagógica”, etc.

 

“À disposição da empresa”: é uma boa ideia colocar esse tipo de frase?

 

Enquanto existem pessoas que podem colocar diversos objetivos profissionais no seu currículo, há outras que não têm nenhuma ideia de que função poderiam desempenhar. Geralmente, isso acontece quando o candidato está há bastante tempo sem trabalhar ou quando ele não tem formação específica, além de casos em que a pessoa simplesmente quer trabalhar naquela empresa, mas não tem qualquer cargo determinado em vista.

Colocar “à disposição da empresa” é uma coisa comum, mas alguns gestores de Recursos Humanos poderão identificar isso como falta de determinação. Afinal, se o indivíduo nem mesmo sabe para em que cargo ele poderia estar, como pode desejar trabalhar?

Ao ver essa frase no objetivo profissional, alguns recrutadores também podem entender como certa “preguiça”: afinal, porque o candidato nem mesmo buscou que tipo de oportunidades poderiam estar abertas naquele período na empresa, por exemplo? Cabe lembrar que a iniciativa é sempre uma das coisas que os gestores notam e que é vista como diferencial quando se seleciona quem estará no processo seletivo e até no cargo.

Com tudo isso, é melhor que o candidato vá até o site da empresa pela qual se interessa e consulte o Trabalhe Conosco. Muitas vezes, vê-se por lá que vagas estão abertas e, dessa forma, pode-se colocá-las no objetivo profissional, desde que a pessoa esteja nos requisitos.

 

Cuidados gerais com o currículo

 

Além da parte da redação do currículo, em especial do objetivo profissional, os candidatos têm de ser cuidadosos com relação ao todo. Primeiramente, o currículo será impresso ou será digital? Se ele for digital, será por meio da plataforma da empresa ou feito em PDF ou em Word?

Quando o cadastro do currículo é via Trabalhe Conosco, as empresas pedem numerosos documentos, até mesmo o úmero do CPF. Apesar de elas poderem fazer uma pesquisa de antecedentes criminais e coisas relacionadas, esse documento tem a finalidade principal de permitir que um login seja criado.

As informações que o candidato põe no currículo não devem ser desatualizadas e não se trata apenas de dados de contato, mas até de cursos: deixar de citar algum curso recente que se tenha realizado é um ponto negativo. Aliás, quanto mais cursos recentes o candidato puder mencionar, melhor.

Nos currículos feitos com PDF ou com Word, nunca se deve incluir qualquer desenho, nem mesmo as formatações que sejam chamativas, excluindo-se inclusive margens.

 

 

 

 

Concurso SEE MG 2018 professor: Veja tudo sobre o Edital

2018 chegou com ótimas novidades para os concurseiros de Minas Gerais. Foi finalmente divulgado o edital SEE MG para abertura de concurso público de provas e também títulos para seleção de candidatos, com mais de 16.700 cargos de nível superior para Professor de Educação Básica – PEB e também Especialista em Educação Básica – EBB do quadro de funcionários da Secretaria de Estado de Educação (Concursos SEE MG).

A organização fica por conta da Fundação Mariana Resende Costa (FUMARC) e as inscrições estarão abertas a partir das 9h00 no dia 26 de fevereiro de 2018 até as 23h59 do mesmo dia 08 de março de 2018, através do seu próprio site. Conta também com uma taxa de inscrição no valor de R$ 70,00 para todos os cargos, que deverá ser corretamente pago até o dia 09 de março de 2018.

São cerca de 16 mil vagas para cargos de Professor de Educação Básica Regente de Aula e 700 para o cargo de Especialista em Educação Básica. As vagas irão abranger todas as 47 Superintendências Regionais de Ensino do Estado.

concurso SEE MG professor

Concurso SEE MG 2018 professor: Requisitos

Para Especialistas em Educação Básica – EBB – Nível I Grau A

Possuir diploma devidamente registrado de curso legalmente reconhecido de Licenciatura Plena em Pedagogia, com habilitação em Supervisão Pedagógica ou Orientação Educacional, que tenha sido expedido por instituições de ensinos credenciadas, ou então diploma devidamente registrado de curso legalmente reconhecido de Licenciatura Plena em Pedagogia, regulamentado pela Resolução CNE/CP nº 01 de 15 de maio de 2006, e que tenha sido expedido por instituições de ensinos superiores credenciadas, ou diploma devidamente registrado de curso legalmente reconhecido de Licenciatura Plena em qualquer das áreas de conhecimento que seja acrescido de certificados de pós-graduação em Supervisão Pedagógica ou então Orientação Educacional e que sejam expedidos por instituições de ensinos superiores já credenciadas.

E existem vagas para Especialistas em Educação Básica – PEB – Nível I – Grau A:

– Artes

– Biologia / Ciências

– Educação Física

– Filosofia

– Física

– Geografia

– Historia

– Língua Estrangeira – Inglês

– Língua Portuguesa

– Matemática

– Química

– Sociologia

Todas com os mesmos requisitos citados no primeiro item.

Remunerações para professor SEE MG

Os salários iniciais para os cargos de carreira de Especialistas em Educação Básica – EBB – Nível I, Grau A, é de R$ 2.135,64. Para os cargos de Professor de Educação Básica – PEB – Nível I, Grau A são de R$ 2.135,64 com jornadas de 24 horas por semana.

Os candidatos que chegarem a ser nomeados, estarão subordinados ao Regime Jurídico Estatuário, de acordo com a conformidade das normas estabelecidas na Lei Estadual nº 7.109/77, que dispõe sobre o Estatuto Pessoal do magistério público do Estado de Minas Gerais e também pela Lei Estadual nº 869/1952, que dispõe sobre o Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado de Minas Gerais, como também à legislação estadual e federal que seja pertinente ao cargo.

Leia outros artigos:

Etapas do concurso

O concurso que possui o seguinte edital, terá provas e títulos, para todos os cargos dispostos, constando as etapas:

– Prova objetiva de múltipla escolha, de caráter tanto eliminatório como classificatório;

– Avaliação de títulos, com caráter classificatório.

As provas serão aplicadas no dia 8 de abril de 2018, e será realizada no próprio estado de Minas Gerais, em cidades sedes das SER, que constam no Anexo IV do mesmo edital. Os candidatos as vagas para os municípios de áreas SER metropolitanas A, B e C irão realizar as provas na cidade de Belo Horizonte.

Mantenha-se preparado e tenha excelentes resultados! Boa sorte!

Bem-vindo ao Blog do Jordan!

Olá, pessoal! Tudo certo?

Aqui é o Jordan Morais e nesse blog eu vou passar a você algumas dicas e macetes que eu uso e já usei para ser aprovado em concursos públicos de alta concorrência.

Antes de começar a dar as dicas, preciso falar que você é muito bem vindo aqui no blog e que juntos poderemos firmar uma parceria de longo prazo.

Eu estudo para concursos desde 2015 e de lá pra cá prestei dezenas de certames, em alguns tive fracasso, em outros consegui a aprovação. Hoje sou técnico judiciário do TJ de São Paulo, mas sigo estudando em busca do meu objetivo maior que é ser aprovado no Concurso da Receita Federal em 2018.

Qual será o conteúdo do blog?

O conteúdo do blog será educativo e informativo. Vou ajudar você passando as melhores dicas de estudo e também notícias atualizadas sobre tudo o que acontece no universo dos concursos públicos. Aqui você irá saber sobre os concursos abertos, previstos e também dicas de bancas organizadoras, como Cebraspe, FCC, Vunesp e muitas outras.

Um pouco da minha experiência

Em 2014 eu estava trabalhando em um lugar que não gostava, ganhava mal e não tinha nenhum reconhecimento. Através de um anúncio de jornal eu vi que iria sair o concurso do INSS e decidi largar tudo para começar a minha preparação em 2015. Apesar de todo o esforço acabei não conseguindo passar por falta de experiência e não ter ninguém para me auxiliar nessa dura caminhada de concurseiro.

Esse é um dos motivos pelos quais criei esse blog. Ajudar você através do caminho que eu mesmo já trilhei através de dezenas de provas prestas e aprovações conquistadas.

É gratuito?

Sim. Todo o conteúdo do Blog Jordan Concurseiro é 100% gratuito e você poderá acessar quantas vezes quiser.

Por fim, gostaria de deixar abaixo a indicação desse vídeo do professor Evandro Guedes no qual ele dá uma verdadeira aula de motivação para quem quer estudar para concursos.

 

Bom, então é isso. Qualquer coisa que precisar é só deixar um comentário abaixo!